Encontro promove diálogo entre agricultores familiares e define próximos passos do Projeto Plantar

Durante quatro dias, agricultores familiares representantes de organizações associativas de 12 municípios de Rondônia se reuniram em Ouro Preto do Oeste para discutir a execução do Projeto Plantar e o Programa de Regularização Ambiental (PRA). Durante as plenárias, foram avaliadas as especificidades, necessidades de cada região, além das prioridades e desafios para o cumprimento das metas do projeto.

No auge dos seus 76 anos, o agricultor familiar Roque Augusto dos Santos, de Rolim de Moura, reforçou a importância de atentar a questões ambientais, fazendo o caminho contrário de décadas atrás, quando o incentivo era justamente desmatar. “Agora a gente tem conhecimento, sabe que o que a tiramos da natureza, temos que devolver”, diz o agricultor, que já aplica na sua propriedade boas práticas como a diversificação da cultura aliada a espécies florestais. “Precisamos pensar nas próximas gerações”, reforça.

O Plantar prevê a recuperação de áreas degradadas e a regularização de propriedades com passivos ambientais por meio do PRA, fortalecimento das organizações sociais, criação de núcleos associativos nos municípios para atuar na implementação de políticas públicas e desenvolvimento de atividades econômicas voltadas à agricultura familiar.

A presidente do Centro de Estudos Rioterra, Telva Maltezo, explica que, paralelamente a essas ações de estruturação dos núcleos municipais, o projeto tem levado aos agricultores a assistência técnica e extensão rural, capacitações e, ainda, promovido intercâmbios entre os diferentes municípios, a fim de se ter uma visão de como cada região tem trabalhado para fortalecer cadeias produtivas e promover o empoderamento de mulheres e jovens.

Exemplo dessas ações é a participação de  Dyenef Lauriano Barcellos, de 19 anos. Ela vive com os pais na Linha 4, em Ouro Preto do Oeste e fala da importância de discussões com estas para os jovens nesse processo de repensar a agricultura familiar. “Nesses espaços a gente aprende muito, tanto na parte apresentada pelos técnicos quanto na troca de experiência com os mais velhos. Assim a gente pode levar muitas melhorias pra nossa propriedade e pra compartilhar com nossos vizinhos”, diz a jovem.

Durante a reunião estadual, os representantes os núcleos municipais discutiram as perspectivas para a agricultura familiar para os próximos quatro anos, a sustentabilidade das propriedades no sentido de produzir e preservar os recursos naturais, organização dos agricultores para produção e comercialização dos produtos, as principais culturas agrícolas a serem utilizadas em cada região, o consorciamento de atividades, entre outros.

Os representantes finalizaram o encontro com a missão de atuarem como protagonistas e mobilizadores do projeto para o cumprimento de suas metas. Reuniões serão realizadas em cada município a fim de apresentar o resultado das discussões junto aos agricultores, as questões relacionadas às capacitações, calendários de atividades, entre outras ações.

O Plantar Rondônia é um projeto pioneiro no país, realizado pelo Centro de Estudos da Cultura e do Meio Ambiente da Amazônia – Rioterra, em cooperação com a Ação Ecológica Guaporé – Ecoporé e Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Rondônia, em parceria com a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental – Sedam e apoio financeiro do Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES através do Fundo da Amazônia.

Saiba mais:
Campanha do Programa de Regularização Ambiental será lançada em Ouro Preto do Oeste

Encontro de associações em Ouro Preto do Oeste vai definir execução de projeto para recuperação de áreas degradadas em Rondônia