FORMAÇÃO DOS NÚCLEOS ASSOCIATIVOS CONTINUAM NO PROJETO PLANTAR

 

Centenas de famílias aderiam ao sistemas de adesão voluntária para implementação do Programa de Regularização Ambiental – PRA

A participação social é entendida pelos proponentes do PLANTAR como indispensável para o desenvolvimento do Programa de Regularização Ambiental – PRA. O Programa de Regularização Ambiental – PRA pode ser considerado como a ação governamental mais importante dos últimos anos para o público da agricultura familiar, pois possibilitará acesso aos mercados e estimulará a economia do meio rural, proporcionando melhoras sociais, aliando esses avanços à conservação da Amazônia.

Assim, a fim de possibilitar ampla participação social e adesão ao PRA, continuam as reuniões de fundação dos núcleos associativos nos municípios de abrangência do Projeto “Plantar Rondônia”.

Depois de Novo Horizonte e Rolim de Moura, foram realizadas entre os dias 15 e 16 de agosto de 2018, reuniões com as associações e sindicatos de Castanheiras, Ji-Paraná e Presidente Médici para a criação destes núcleos municipais.

“O núcleo associativo é um espaço pensado para que as organizações sociais possam levar suas demandas e anseios, e de forma coletiva construam estratégias de fortalecimento das organizações e da agricultura familiar”, disse Sheila Noele, coordenadora de Extensão Rural do CES Rioterra.

Até o momento mais de 37 organizações já aderiram aos núcleos nos municípios, que beneficiarão direta mais de 900 famílias ligadas à agricultura familiar. Os municípios de Itapuã do Oeste, Rio Crespo, Cujubim, Ariquemes, Jaru, Machadinho D `Oeste realizarão nos próximos dias suas reuniões.

 

“A agricultura familiar passa por um momento de muito interessante da sua história. Avanços tecnológicos têm trazido novidades e exigências em vários planos, desde a produção até a comercialização, como a emissão de notas fiscais eletrônicas, por exemplo. É fundamental que os agricultores discutam estas mudanças, se capacitem e sejam assessorados para continuarem no mercado”, comentou Alexis Bastos, coordenador do projeto.

A organização dos núcleos associativos é parte das ações do Projeto “Plantar Rondônia” realizado pelo Centro de Estudos da Cultura e do Meio Ambiente da Amazônia (CES) Rioterra, em cooperação com a Ação Ecológica Guaporé – Ecoporé e Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Rondônia – FETAGRO, parceria da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental – SEDAM e apoio financeiro do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES através do Fundo Amazônia.